Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Brasil chega a Cannes Lions com time reforçado

País terá 18 representantes no júri da edição 2015 do festival,incluindo um fato inédito: dois presidentes de júri em um só ano

FERNANDO SCHELLER, O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2015 | 02h09

O Brasil chegará à Riviera Francesa com presença reforçada em 2015: depois de contabilizar 15 jurados na edição do ano passado, a participação nacional foi ampliada para a edição 2015 do Cannes Lions - Festival Internacional de Criatividade, a ser realizado em junho, na França. Neste ano, serão 18 jurados, incluindo dois presidentes de júri: João Daniel Tikhomiroff, que comandará o time de publicitários de Film Craft Lions; e Joanna Monteiro, que presidirá a categoria Mobile Lions. O Estado é o representante oficial do festival no Brasil.

Ontem, em almoço que reuniu os brasileiros escolhidos para o júri de Cannes Lions 2015, Tikhomiroff - o brasileiro mais premiado em Cannes, com 41 Leões - afirmou que a "missão" de participar do corpo de jurados deve ser pautada pelo respeito a todas as peças inscritas, que devem ser assistidas com a devida atenção. Nas categorias mais disputadas, não é incomum que os jurados tenham de ver mais de mil inscrições para definir o Grand Prix (grande prêmio) e os vencedores dos Leões de Ouro, Prata e Bronze.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
"O brasileiro é digital por natureza. (Trabalhar neste setor) é uma revolução diária, em que a velocidade de reação é necessária" - Sergio Gordilho, copresidente da Africa
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Na visão do sócio da produtora Mixer, que já foi jurado em Cannes Lions em outras cinco ocasiões, os estreantes no festival devem ter em mente duas funções das peças publicitárias nas diferentes categorias: o poder criativo da ideia apresentada e também os resultados obtidos pela marca depois da veiculação. "O jurado brasileiro também deve esclarecer questões locais, para que um trabalho brilhante não deixe de ser premiada por algum tipo de preconceito cultural", afirmou.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
"Para me preparar, estou procurando ver o que há de novo, revisitando peças e conversando com quem tem experiência no festival" - Joanna Monteiro, vice-presidente de criação da FCB
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Boa parte dos 18 jurados brasileiros da edição 2015 do festival é de estreantes na função. Depois de ser eleita no ano passado a mulher mais criativa da publicidade pelo site Business Insider, a brasileira Joanna Monteiro, vice-presidente de criação da FCB Brasil, chegou diretamente à posição de presidente do júri de Mobile Lions (que premia ações para dispositivos móveis). Uma campanha desenvolvida pela FCB Brasil para a marca Nivea Sun Kids levou o Grand Prix em Mobile em 2014. Por chegar já na função principal, a publicitária diz que está fazendo o "dever de casa". "Para me preparar, estou procurando ver o que há de novo, revisitando peças de anos anteriores e conversando com quem tem experiência no festival."

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
"Acho que a participação no júri pode ser uma forma de ajudar agências de RP a aprender a mostrar 'cases1 de forma mais criativa" - Kiki Moretti, presidente da Inpress Porter Novelli
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Uma nova visão. No júri de PR Lions, que premia as ações de relações públicas, o Brasil terá Kiki Moretti, fundadora e presidente da InPress Porter Novelli, uma agência especializada na área. Ela admite, no entanto, que as agências de RP tem tido uma presença discreta nas premiações. Para Kiki, falta às agências de relações públicas mais criatividade na hora de apresentar seus trabalhos. "Acho que o setor de RP está aprendendo (a se apresentar no festival). Acho que podemos adotar uma forma mais criativa de mostrar os nossos 'cases'", disse.

Na opinião de Ricardo Nobre, vice-presidente de criação da Borghi/Lowe e jurado de Film Lions, o País poderá mostrar em Cannes que a produção local de filmes publicitários está ganhando força e se libertando das amarras dos formatos tradicionais dos comerciais de TV. "Estamos reaprendendo a apresentar soluções criativas, em formatos mais longos de branded content (conteúdo de marca), mesmo trabalhando com orçamentos inferiores aos de outros mercados."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.