Brasil conclui acordo para compra de US$10 bi em títulos do FMI

O Brasil concluiu nesta sexta-feira um acordo que permite ao país comprar, no prazo de dois anos, até 10 bilhões de dólares em títulos do Fundo Monetário Internacional (FMI), informou o Banco Central em nota.

REUTERS

22 Janeiro 2010 | 20h14

Sob o acordo, que havia sido formalizado em outubro passado, "a compra de notas, que será operacionalizada pelo Banco Central, envolverá a aquisição de ativos emitidos pelo FMI e imediatamente conversíveis em moedas de liquidez internacional, se necessário".

Os títulos serão denominados em Direito Especial de Saque (DES).

"A operação apenas alterará a composição das reservas internacionais do país, contribuindo para sua diversificação", segundo a nota do BC.

As notas terão prazo máximo de cinco anos, com vencimento três meses após a emissão e com renovação automática por igual período de acordo com a necessidade do FMI.

"As notas auferirão juros trimestrais, baseados na taxa de juros do DES. Essa taxa de juro corresponde à média ponderada das taxas de juro de curto prazo dos EUA, Zona do Euro, Japão e Reino Unido", explicou o BC.

O acordo foi assinado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, pelo presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e pelo diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn.

(Reportagem de Bruno Marfinati)

Mais conteúdo sobre:
MACRO BRASIL FMI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.