Brasil considera corte de subsídios dos EUA insuficiente

Para membro da delegação brasileira, foi 'uma boa tentativa, mas os subsídios ainda são muito altos'

Deise Vieira, da Agência Estado,

22 de julho de 2008 | 10h14

O Brasil afirmou que a oferta feita nesta terça-feira, 22, pelos Estados Unidos de cortar os subsídios agrícolas anuais em mais US$ 2 bilhões, para US$ 15 bilhões, para tentar destravar a Rodada Doha não é suficiente. "Essa é uma boa tentativa, mas (os subsídios) ainda são muito altos", disse um membro da delegação brasileira logo após o anúncio da representante de Comércio dos EUA, Susan Schwab.  Veja também:Rodada Doha: entenda o que está em jogo em GenebraProposta de corte dos EUA não surpreende, diz especialistaEUA oferecem cortar subsídio agrícola para US$ 15 bilhõesPrimeiro dia de negociação na OMC foi inútil, diz AmorimBrasil classifica oferta da UE de reduzir tarifa de 'propaganda'UE propõe ampliar corte de tarifa agrícola para 60%Críticas de Amorim podem prejudicar negociações   "Em troca de um resultado ambicioso em termos de acesso ao mercado", Susan Schwab afirmou que os EUA estão preparados para reduzir o suporte doméstico para US$ 15 bilhões. Mas para o Brasil, um dos países em desenvolvimento chave para as negociações na Organização Mundial do Comércio (OMC), a oferta não impressiona e os EUA precisam ir além. A oferta mais recente mostra uma leve melhora em relação à oferta anterior, que era de reduzir os subsídios para US$ 17 bilhões. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Rodada DohaOMC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.