Brasil contribui para queda de 29% no lucro da Michelin

O fabricante francês de pneus Michelin obteve um lucro de 276,1 milhões de euros no primeiro semestre, o que representou uma queda de 29% do que o registrado no ano passado. Segundo informou a empresa nesta sexta-feira, nos mercados americanos os dados foram negativos, especialmente nos pneus para caminhões de grande tonelagem no sul, sobretudo no Brasil.A empresa apontou como fator determinante do resultado o aumento do custo das matérias-primas, em 21%, representando um custo adicional de 352 milhões de euros. Outro problema foi a reestruturação obrigada pelo fechamento de uma de suas fábricas no Canadá.Entre janeiro e junho as vendas do grupo chegaram a 8,023 bilhões, com um aumento de 7,1%, segundo a Michelin, que destacou os bons resultados na Ásia e um pouco menos na Europa.O lucro operacional caiu 29,4%, para 485,2 milhões de euros, enquanto a dívida financeira líquida é de 4,514 bilhões, 0,6% mais alta que em 31 de dezembro.Para o segundo semestre, Michelin prevê a manutenção na alta do preço das matérias-primas, com um custo adicional de 800 milhões de euros. A margem operacional deverá ficar próxima a 8% em 2006.

Agencia Estado,

28 de julho de 2006 | 10h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.