Brasil crescerá menos do que o mundo, diz FMI

O Fundo Monetário Internacional (FMI) manteve a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil neste ano em 4,4%. Em compensação, revisou de 4,9% para 5,2% a estimativa para a expansão da economia global. Se as previsões se confirmarem, será mais um ano em que o Brasil crescerá abaixo do resto do planeta. Os números, divulgados ontem, constam da revisão do relatório Perspectiva Econômica Global.''''Nossos números (para o Brasil) são justificados pelos dados recentes e projeções anteriores'''', explicou Charles Collyns, vice-diretor do Departamento de Pesquisa do FMI. ''''Temos visto o aumento das projeções para o País, que agora estão ficando em linha com nossa estimativa anterior, que era um pouco maior que a do consenso de mercado.'''' A expectativa do Fundo é de que o Brasil se expandirá 4,2% em 2008.Para os Estados Unidos, o FMI reduziu de 2,2% para 2% a previsão para o crescimento do PIB em 2007. Para 2008, manteve a estimativa inalterada em 2,8%. Essa alteração para baixo nos EUA refletiu-se nos números projetados para o México. O Fundo espera, agora, que o PIB mexicano cresça 3,1%, ante 3,5% no relatório anterior. Para 2008, a estimativa foi mantida em 3,5%.Segundo o FMI, a economia global continuou a ter expansão em um ''''ritmo rápido'''' na primeira metade de 2007. A maior parte das revisões que contribuíram para um crescimento global mais robusto veio dos mercados emergentes.A projeção de crescimento para os emergentes saiu de 7,5% para 8% em 2007 e de 7,1% para 7,6% em 2008. ''''Os países emergentes continuaram a ter expansão robusta, conduzidos pelo rápido crescimento na China, na Índia e na Rússia'''', informou o relatório.A expansão do PIB chinês foi revisada de 10% para 11,2% em 2007 e de 9,5% para 10,5% em 2008. De acordo com Collyns, ''''pela primeira vez, a China contribuirá com a maior parte do crescimento global''''. Pela metodologia de paridade de poder de compra (PPP), o PIB da China responde por 15% do crescimento mundial. Em termos de valores de mercado, é responsável por 4%.''''Se adicionarmos Índia e Rússia, temos metade de todo o PIB global vindo dos mercados emergentes'''', afirmou o vice-diretor do FMI. O crescimento do PIB da Índia foi revisado de 8,4% para 9% em 2007 e de 7,8% para 8,4% em 2008. A expansão da economia russa subiu de 6,4% para 7% em 2007 e de 5,9% para 6,8% para 2008.As projeções anteriores haviam sidos feitas pelo Fundo em abril, durante a reunião de Primavera. De acordo com o FMI, essa é ''''a primeira de uma série de atualizações'''' que serão feitas entre o encontro de Primavera e o de Outono, que ocorrerá em meados de outubro em Washington, onde fica a sede da instituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.