FELIPE RAU/ESTADÃO
FELIPE RAU/ESTADÃO

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Brasil cresceu e amadureceu, diz Levy

Ministro da Fazenda afirma que País precisa estar preparado para novos desafios

Carla Araújo, Ricardo Leopoldo, Cynthia Decloedt , O Estado de S. Paulo

05 de junho de 2015 | 14h36

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou nesta sexta-feira, 5, que o Brasil "cresceu e amadureceu" e que agora "tem novos desafios". "E nós temos que estar preparados para responder a esses novos desafios".

A declaração foi feita durante anúncio de uma parceria entre a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que trata de uma nova política de financiamento do banco, que busca incentivar a emissão de debêntures corporativas.

Levy reforçou o compromisso do governo com o ajuste fiscal e disse que testemunhou que há grande demanda no Brasil por crédito de longo prazo.

"Há demanda por papel longo e continuará à medida que garantirmos solvência e estabilidade", afirmou, destacando que hoje há fundos de pensão que querem comprar papéis de longo prazo, de três, cinco a sete anos.

O ministro disse ainda que quando o financiamento de longo prazo se amplia, a política monetária passa a ser mais forte e que o projeto apresentado hoje vai ajudar na recuperação da economia. "Temos uma estratégia ambiciosa de usar o papel dinamizador do BNDES", afirmou.

Também participam do evento o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, a presidente da Anbima, Denise Pavarina, e o diretor do BNDES, Julio Raimundo.

Depois do encontro, Levy retornou para Brasília, onde se reúne, às 16h, com a presidente Dilma Rousseff. Esse encontro com a presidente pode reunir outros ministros para a discussão sobre o novo plano de concessões em infraestrutura que será lançado na próxima terça-feira. 


Tudo o que sabemos sobre:
Joaquim LevyBNDESAnbima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.