Brasil deixa de movimentar US$ 2,6 bihões com greve de auditores

O Brasil deixou de movimentar entre US$ 2,1 bilhões e US$ 2,6 bilhões com comércio exterior em dois meses de greve dos auditores fiscais, informou a Associação Brasileira de Comércio Exterior (Abracex). Segundo o presidente da entidade, Primo Roberto Segatto, a alfândega retém entre 5% e 6% das exportações, um valor diário médio entre US$ 10 milhões e US$ 12 milhões - o que em 60 meses totaliza de US$ 600 milhões a US$ 700 milhões. No caso das importações, a retenção diária média tem sido entre 15% e 20% do total. Em valores, o equivalente a algo entre US$ 1,5 bilhão e US$ 1,8 bilhão. "Só são liberados os perecíveis, matérias-primas para laboratório, alguns alimentos", disse Segatto. O executivo critica a falta de atitude do governo e propõe uma ação conjunta entre Brasília, empresários e o sindicato da categoria para encontrar uma solução para a greve. Segatto lembrou que, além de ter impacto na inflação, a greve causa prejuízos indiretos porque aumenta em até 100% os custos com uso de contâineres, com armazenagem e com fretes.

Agencia Estado,

12 de julho de 2002 | 18h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.