Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Brasil deixa lista dos 25 melhores países para investir pela 1ª vez em 21 anos

Índice tem como base pesquisa feita com 500 executivos seniores das principais corporações do mundo; entre 2010 e 2014, País esteve entre os cinco primeiros colocados do ranking

Clara Rellstab, O Estado de S.Paulo

08 de maio de 2019 | 11h05

Pela primeira vez em 21 anos o Brasil ficou de fora da lista dos 25 melhores países para investir feita pela consultoria empresarial norte-americana A.T. Kearney. O País figurava no ranking desde 1998, quando o levantamento que segue a opinião de investidores estrangeiros começou a ser elaborado. A posição do País em 2019 não foi divulgada.

O índice é calculado com base em uma pesquisa feita com 500 executivos seniores das principais corporações do mundo sobre a probabilidade de as empresas entrevistadas investirem diretamente naquele determinado País nos próximos três anos.

Nos últimos três anos, o Brasil já vinha caindo no ranking, ocupando as posições 12ª, 16ª e 25ª – o último lugar entre os escolhidos –, entre 2016, 2017 e 2018, respectivamente. Em 2010 e 2014, o País figurou entre os cinco primeiros colocados da lista. 

Com a ausência brasileira, os número de países emergentes que figuram a lista caiu para três: China (7ª), Índia (16ª) e México (25ª). Os cinco primeiros colocados são Estados Unidos, Alemanha, Canadá, Reino Unido e França.

Em 2018 consultoria estava otimista com o Brasil 

Em 2018, a A.T. Kearney destacava, com otimismo, o impeachment da “ex-presidente de esquerda” Dilma Rousseff (PT), que abriu caminho para “um sucessor mais favorável aos negócios”, o ex-presidente Michel Temer (MDB). “Ele (Temer) aprovou uma lei que limita futuros aumentos nos gastos governamentais, começou a lidar com a reforma previdenciária e planeja aprovar reformas nas leis trabalhistas, tributárias e educacionais até 2018”, afirmaram.

“Os investidores nos dizem que permanecem relativamente pessimistas em relação às suas perspectivas econômicas (com o Brasil). Provavelmente como resultado desses problemas macroeconômicos, os fluxos de IED para o Brasil caíram de US$ 65 bilhões em 2015 para US$ 50 bilhões em 2016”, diz trecho do estudo daquele ano.

No relatório deste ano, o Brasil não é citado. A consultoria faz considerações apenas sobre os 25 países listados no ranking.

Ranking dos melhores países para investir em 2019

    1º Estados Unidos

    2º Alemanha

    3º Canadá

    4º Reino Unido

    5º França

    6º Japão

    7º China

    8º Itália

    9º Austrália

    10º Singapura

    11º Espanha

    12º Holanda

    13º Suíça

    14º Dinamarca

    15º Suécia

    16º Índia

    17º Coreia do Sul

    18º Bélgica

    19º Nova Zelândia

    20º Irlanda

    21º Áustria

    22º Taiwan

    23º Finlândia

    24º Noruega

    25º México

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.