Brasil deve aumentar compra de trigo de países vizinhos

O Brasil deve aumentar este ano a compra de trigo de países vizinhos, como Uruguai e Paraguai, para ajudar a suprir a possível falta do produto originário da Argentina. A informação foi dada hoje pelo secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Welber Barral. "Estamos empenhados num esforço de aumentar a compra do trigo desses países e talvez de outros também", afirmou.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

15 de maio de 2009 | 16h45

Com a seca na Argentina, a produção do país este e no próximo ano deve ser uma das piores do século, com um teto de 6,3 milhões de toneladas. A demanda brasileira anual, de acordo com Barral, é de 11 milhões de toneladas do produto por ano. Mesmo com a perspectiva de safra recorde em 2009, de aproximadamente 6 milhões de toneladas, o Brasil pode encontrar dificuldades com a oferta de trigo. Uma parte das cinco milhões de toneladas de demanda brasileira restantes, de acordo com o secretário, já foi adquirida da Argentina. Ele não informou o montante.

A situação piora, contudo, conforme lembrou Barral, porque a safra brasileira tem data prevista para setembro. "Estamos cobrando da Argentina sobre o quanto eles ainda têm de produto disponível e aumentamos as compras do Uruguai e do Paraguai", afirmou. O MDIC aguarda também dados do Ministério da Agricultura a respeito da estimativa de demanda de junho até setembro para verificar as necessidades reais de compra do produto.

O subsecretário do Ministério das Relações Exteriores do Uruguai, Pedro Vaz, que está no Brasil para participar da 11ª Reunião da Comissão de Monitoramento do Comércio Brasil-Uruguai informou que a produção do país não é suficiente para atender à necessidade brasileira. "Não temos muito trigo", limitou-se a dizer. No ano passado, o Brasil importou do Uruguai US$ 36,896 milhões de trigo em grãos, um aumento de 32,6% na comparação com o ano anterior (US$ 27,816 milhões).

Tudo o que sabemos sobre:
trigoimportação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.