Brasil deve exportar manga para o Japão

O Brasil poderá exportar manga para o mercado japonês a partir de junho próximo, conforme entendimentos mantidos hoje entre uma delegação do Ministério da Agricultura, Floresta e Pesca (MAFF) do Japão com os técnicos da Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura. A delegação japonesa, além de se reunir com os técnicos do Ministério, já visitou estações de tratamento de frutas para verificar os procedimentos fitossanitários (sistema hidrotérmico que consiste em submergir a fruta a uma temperatura de 46 graus centígrados) usados para prevenir e evitar a incidência de pragas no Brasil. O Ministério da Agricultura vem trabalhando há três anos com as universidades de Brasília (UNB) e a Universidade de São Paulo (USP) em pesquisas visando a instalação do sistema denominado de "packing houses", que corresponde a tratamento, certificação e embalagem de frutas às exigências dos japoneses. Depois de visitar várias estações de tratamento de frutas tropicais na semana passada, a delegação japonesa irá acompanhar, no decorrer desta semana, a parte final dos testes que estão sendo realizados na USP. Se o resultado dos testes forem considerados satisfatórios aos padrões do Japão, o protocolo formalizando a exportação de manga brasileira para aquele país poderá ser assinado na próxima sexta-feira. Depois da assinatura o protocolo ainda terá que ser colocado para consulta pública no Japão. Os contatos com as autoridades japonesas visando a exportação de manga começaram há 20 anos. E a demora se deve ao alto grau de exigência do Japão com relação à sanidade vegetal das frutas que importa. No ano passado o Brasil exportou US$ 51 milhões em manga (94,2 mil toneladas). A maior parte das vendas foi feita para os Estados Unidos (70%) e para a Europa (30%).

Agencia Estado,

25 de fevereiro de 2002 | 17h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.