finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Brasil deve mostrar ao FMI que é confiável, diz economista

Agora que a Argentina está fechando um novo acordo com o FMI, em bases mais favoraveis, fica a duvida se o Brasil deve ou nao recorrer àquele Fundo para renovar o compromisso. Para o economista Roberto Fendt, da FGV, o mais importante é a demonstração do FMI de que o Brasil tem sido um país confiável. "Seja lá qual for a atitude, em qualquer caso, o ambiente hoje é diferente do ambiente que tínhamos anteriormente. O País e confiável", salientou Fendt em entrevista ao Conta Corrente, da Globo News. "Um ambiente conquistado pela consistência da aplicação da política econômica nesses primeiros nove meses de governo."O professor da FGV lembra que o governo não teve outra opção senão passar os primeiros meses do ano "arrumando a casa" para só então almejar a retomada do crescimento econômico para o prôximo ano. "O ano comecou com um grau de incerteza medonha", destacou o economista. "Você tinha de colocar a casa em ordem, porque não se pode construir nada em cima de alicerces que não suportem uma estrutura sólida. Hoje, nós estamos numa situação de fundamentos sólidos", acentuou Roberto Fendt. "Eu acho que nós temos hoje esse alicerce."

Agencia Estado,

11 de setembro de 2003 | 08h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.