Brasil deve priorizar acordo na OMC, diz presidente da Fipe

O Brasil deve se esforçar para o sucesso de um acordo na Organização Mundial de Comércio (OMC), avalia o diretor-presidente da Fipe, Davi Silber. A reunião da OMC começa amanhã em Cancún, no México, com a presença de cinco ministros brasileiros.Silber disse que caso fracasse a rodada Doha, da qual faz parte o encontro em Cancún, o Brasil terá que adotar uma estratégia ?minimalista?, com acordos mais específicos para conseguir a abertura agrícola. ?Mas o ideal mesmo é um acordo na OMC. Esse é o melhor dos melhores (caminhos)?, afirma, em entrevista exclusiva à Agência Estado.Para Silber, o governo brasileiro acabará cedendo nas reivindicações na área agrícola. ?Embora a probabilidade seja muito grande de um acordo agora, isso não invalida que todas as partes envolvidas façam concessões?. Em troca da redução das barreiras agrícolas, pelos países ricos, o País poderá liberalizar o setor de serviços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.