Brasil diz esperar novo documento da OMC na sexta-feira

O diretor-geral da Organização Mundialdo Comércio, Pascal Lemy, pode distribuir um texto denegociação revisado na rodada Doha no fim da semana, disse oministro das Relações Exteriores, Celso Amorim,no domingo. "Um documento deve ser divulgado na sexta", disse Amorim,depois de um encontro entre autoridades de países emdesenvolvimento, às vésperas de uma pressão para a obtenção deum acordo que derrubaria barreiras para o comércio mundial deprodutos agrícolas e bens manufaturados. O texto, que será compilado caso os ministros reunidos emGenebra consigam reduzir suas divergências, provavelmente selimitará a duas áreas complicadas que estão no centro dasnegociações de Doha, que já dura sete anos. Amorim disse que os diplomatas dos países emdesenvolvimento vão se encontrar todos os dias, paralelamenteàs sessões. Essas reuniões paralelas serão limitadas aministros de cerca de 30 países que representam os interessesque colocaram países ricos e pobres em conflito nas conversasda OMC. O ministro brasileiro destacou que é importante que aseconomias emergentes se juntem para evitar que os países ricosos dispersem em relação a questões como a exposição dos setoresindustriais à competição externa. Ele também manteve os comentários feitos no sábado, quandosugeriu que alguns participantes das negociações estãoenganando as pessoas com suas posturas públicas, mas sedesculpou por ter comparado esta atitude à de Joseph Goebbels,chefe da propaganda nazista. "Sinto muito se causei desconforto. Não foi minhaintenção", disse Amorim, acrescentando que deixou clara suareprovação a Goebbels. De todo modo, os comentários pioraram oclima diplomático. "Mantenho o seguinte: uma distorção repetida várias vezesfaz com que as pessoas acreditem que a distorção é a verdade",explicou Amorim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.