Brasil diz que não tem pressa em acordo Mercosul-UE

O governo brasileiro definiu que não aceitará ganhos menores para que o acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Européia feche ainda neste ano. ?Não haverá o acordo pelo acordo?, diz nota do Ministério do Desenvolvimento, após a reunião desta terça-feira com os seis ministros que compõem a Câmara de Comércio Exterior (Camex).A nota diz que os negociadores brasileiros não aceitarão o retrocesso em questões que eles consideram já avançadas. "Não estamos lutando contra o tempo. Não passa pela nossa cabeça ganhos menores do que os que já conseguimos ou os que podemos obter.?Ao tomar a decisão, a Camex está ciente de que o atraso das negociações trará um complicador a mais: a mudança da Comissão da União Européia em outubro deste ano e, portanto, da equipe negociadora. ?Se houver necessidade de mais tempo, as negociações serão feitas posteriormente à nova comissão européia, que está para ser trocada?, diz a nota. A Camex confirmou a realização de um encontro ministerial Mercosul-União Européia em agosto, em Brasília.ArgentinaOs ministros que compõem a Camex concordaram que as negociações entre o Brasil e a Argentina sobre o comércio de eletrodomésticos continuará. O tema voltará a ser debatido pelo primeiro escalão dos dois governos em agosto, durante a visita do ministro de Economia da Argentina, Roberto Lavagna, a Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.