Brasil diz ser prematuro falar em novo acordo com o FMI

O secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy, confirmou hoje que o FMI ofereceu ao governo brasileiro a possibilidade de um novo empréstimo. Para o secretário, essa discussão é prematura. O acordo de US$ 30 bilhões fechado no governo passado com aval do então candidato Luiz Inácio Lula da Silva termina em setembro.Segundo Levy, a oferta foi feita pelo diretor-gerente do FMI, Horst Köhler. "Ele manifestou ao governo que o FMI está aberto e disponível à possibilidade de um novo empréstimo". O secretário do Tesouro disse que Köhler tem demonstrado o seu "entusiasmo" em relação ao Brasil e que a oferta de um novo empréstimo se insere nesse contexto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.