Brasil é 1º em robótica da América Latina

O Brasil superou o México e foi o País da América Latina onde o maior número de robôs foi instalado na indústria em 2002. As informações são da Comissão Econômica da ONU para a Europa, que acredita que o volume de investimentos no setor deva continuar a crescer no Brasil em 2003. Segundo as estatísticas, o Brasil deve contar com até 4 mil robôs instalados, especialmente nas fábricas automotivas do País. O número equivale a cerca de 90% de todos os robôs existentes na América do Sul e se equipara ao do México.Mas o País ainda está muito longe de economias como a do Japão, que conta com cerca de 350 mil robôs em uso, ou da Alemanha, com cerca de 105 mil unidades. O problema para a expansão da robótica no Brasil estaria no baixo custo da mão-de-obra, que impediria que outros setores adotassem a tecnologia. "No Brasil, um robô ainda não pode competir com os baixos salários dos trabalhadores", afirma Jan Karlsson, autor do estudo. Já na Alemanha, o alto custo de um empregado incentivou até as pequenas empresas a adotarem robôs em suas linhas de produção.O estudo aponta a existência de pelo menos 770 mil robôs em funcionamento no mundo, o que inclui desde robôs para vigilância, para uso médico e para a montagem de veículos em linhas de produção. Para 2003, o prognóstico da ONU mostra um aumento no setor, depois de dois anos de queda. Somente no primeiro semestre, as encomendas de robôs no mundo teriam aumentado em 26% em relação ao mesmo período de 2002. Até 2006, a perspectiva é de um crescimento anual de pelo menos 7,4%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.