carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Brasil é 15º em volume de remessas de emigrantes, aponta ONU

Dados mostram que brasileiros no exterior enviaram US$ 3,2 bi ao País em 2006; México, Índia e Filipinas lideram

Jamil Chade, de O Estado de S. Paulo,

04 de agosto de 2008 | 14h00

O Brasil é o 15º país com o maior volume de remessas de seus emigrantes que estão trabalhando pelo mundo. Os dados são da Organização das Nações Unidas (ONU) e mostram que mexicanos, indianos e filipinos são os que mais enviam dinheiro de volta para seus países. Os dados, ainda de 2006, mostram que o Brasil recebeu US$ 3,2 bilhões em remessas no período. O volume é mais de seis vezes superior ao que os brasileiros enviavam em 1990. Em 2000, as remessas chegaram a US$ 1,3 bilhão, atingindo US$ 2,8 bilhões em 2005. O dinheiro registrado, porém, é apenas parte da história. A própria entidade acredita que as remessas que não passam por canais oficiais são tão importantes quanto às que são registradas. Em muitos casos, casas de câmbio usam esquemas de compensação para fazer as transferências de um país no exterior ao Brasil, o que não consegue ser registrado pelo Banco Central. Mesmo assim, o valor registrado em 2006 no Brasil é superior às exportações do País em alguns tipos de carnes. As remessas ainda foram duas vezes superiores às exportações de etanol em 2006. Naquele ano, as vendas do produto foram de US$ 1,6 bilhão ao mercado externo. Mas em termos percentuais, o peso das remessas dos brasileiros não é dos maiores. Segundo a ONU, o dinheiro enviado pelos emigrantes representa apenas 2,1% das exportações nacionais. Em outros países, a situação é bem diferente. Na Guatemala, o dinheiro enviado representa metade dos lucros que o país obtém com as exportações. Em El Salvador, as remessas geram o equivalente a 65% do volume do comércio do país. A situação mais crítica é do Haiti, que recebe por ano cerca de US$ 1 bilhão de fora, volume superior a todas as suas exportações.  Entre os países que mais recebem recursos está o México, com US$ 25 bilhões entrando por ano em sua economia graças aos emigrantes que estão principalmente nos Estados Unidos. O volume é equivalente a 9,4% das exportações nacionais. Índia, Filipinas, China, Indonésia e Egito entre eles os líderes. Entre os 20 primeiros países, as remessas ultrapassam já a marca de US$ 120 bilhões por ano. Oito desses 20 são economias latino-americanas.

Tudo o que sabemos sobre:
ONURemessasBrasileiros no Exterior

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.