finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Brasil é 5º lugar em investimento estrangeiro para emergentes

O Brasil cai cinco posições no ranking de ingressos de investimento direto estrangeiro em 2003. Entre os 20 maiores recebedores, preparado pela Unctad (departament da ONU para o comércio), o País caiu para a 16ª posição, com US$ 10,144 bilhões (1,8% do total). Em 2002, o Brasil ocupou o 11ª lugar, com US$ 16,5 bilhões (2,4%). No ranking dos países em desenvolvimento, o Brasil caiu para o 5º lugar, sendo que estava em 2º em 2002, com US$ 16,5 bilhões.A queda do Brasil entre os emergentes não foi drástica, já que os países que estão em 3º e 4º lugares receberam investimentos muito próximos aos brasileiros. São Cingapura (US$ 11,409 bilhões) e México (US$ 10,783 bilhões). Os investimentos recebidos pelos três países ficam longe dos dois primeiros colocados - China (US$ 53,505 bilhões) e Hong Kong (US$ 13,561 bilhões). Em contrapartida, a Índia, que é sempre citada ao lado da China e do Brasil como destino predileto dos investidores estrangeiros, recebeu US$ 4,269 bilhões no ano passado.A Unctad não faz previsões para o fluxo de investimentos que o Brasil receberá em 2004 e 2005. A Sobeet, que divulgou o relatório no Brasil, estima que o investimento estrangeiro subirá para US$ 12 bilhões em 2004. Para 2005, a Sobeet mantém a estimativa de US$ 15 bilhões em investimentos.

Agencia Estado,

22 de setembro de 2004 | 15h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.