Brasil e Argentina adiam reunião sobre salvaguardas

O sub-secretário de Integração da Argentina, Eduardo Sigal, anunciou que seu governo e o Brasil decidiram adiar até meados de abril a reunião marcada inicialmente para março para discutir a aplicação de mecanismos que evitem "desequilíbrios" comerciais.As discussões sobre a implementação de um sistema permanente para evitar os "desequilíbrios" ou "assimetrias" (denominações aplicadas pelos argentinos) arrastam-se desde setembro de 2004, sem sucesso. Representantes dos governos dos dois países realizaram duas reuniões (em dezembro passado e janeiro) sem poder chegar à uma solução de consenso.Durante uma reunião de coordenadores do Mercosul em Assunção, no Paraguai, Sigal explicou que a agenda está muito "cheia" e que, por isso, a reunião para discutir o sistema anti-assimetrias ficará para mais tarde.Nesse intervalo, a Argentina prepararia uma contra-proposta à contra-proposta entregue pelo Brasil recentemente, que modifica a proposta original da Argentina, apresentada em Brasília em setembro de 2004 pelo Ministro da Economia, Roberto Lavagna. A "estrela" da proposta original argentina era a implementação de salvaguardas comerciais (atualmente proibidas no Mercosul, já que elas ferem o espírito de livre comércio do bloco).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.