Brasil e Argentina são contra a guerra, diz Amorim

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, em entrevista concedida hoje com o chanceler Carlos Ruckauf, em Buenos Aires, afirmou que a visão dos dois países sobre uma guerra dos Estados Unidos contra o Iraque é muito parecida. "Quase idêntica", disse. "Ambos somos contra a guerra. Apoiamos a importância do Conselho de Segurança e nos preocupamos com a questão humanitária no Iraque."Os dois chanceleres também comentaram a situação na Venezuela. Perguntado se a Argentina poderia integrar o grupo de amigos da Venezuela, Ruckauf afirmou que "se o Brasil está presente, a Argentina também está." "Não necessitamos estar os dois, porque nos sentimos absolutamente representados pelo Brasil", afirmou. Ruckauf disse também que qualquer solução para a crise da Venezuela tem que ser "democrática, constitucional e decidida pelos venezuelanos".Amorim almoçou com o presidente argentino, Eduardo Duhalde, e com os ministros da Economia, Roberto Lavagna, e da Produção, Aníbal Fernandes. Amorim embarcará hoje à noite para o Uruguai. Às 16h (de Brasília), o chanceler concederá entrevista aos correspondentes brasileiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.