Brasil e Argentina também divergem sobre veículos em Bruxelas

Representantes do setor automotivo do Brasil e da Argentina não conseguem chegar a um acordo sobre o que irão propor à União Européia como abertura do mercado do Mercosul para veículos. Hoje, em Bruxelas, negociadores dos dois países se reuniram para tentar aproximar as posições, mas concluíram o encontro sem uma posição fechada.Da parte dos argentinos, a proposta é de que haja uma cota para a importação de carros europeus, acompanhada simultaneamente de redução de barreiras tarifárias. Para o Brasil, a cota pode existir, mas a liberalização tarifária ficaria apenas para o futuro.Na avaliação do embaixador Régis Arslanian, responsável pela delegação brasileira nas negociações com a União Européia, o Mercosul somente apresentará uma oferta concreta a Bruxelas quando os setores privados de Argentina e Brasil entrarem em um acordo. "Por enquanto, não temos um entendimento", afirmou Arslanian.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.