Brasil e Bolívia estão negociando questão do gás

O ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau, informou nesta segunda-feira que a chefe da Assessoria Internacional do ministério, Helena Cláudia de Almeida Cantizano, está reunida neste momento com autoridades do governo da Bolívia, em busca de soluções para a crise causada entre os dois países pela decisão de La Paz de assumir os ativos da Petrobras naquele país. O ministro disse que espera ir à Bolívia até o fim desta semana, para fechar os novos acordos de exploração e produção de hidrocarbonetos. "Estou muito esperançoso com as negociações. Espero ir a Bolívia até sábado (quando termina o prazo das negociações). Só não quero ir no domingo", brincou, fazendo referência à data do segundo turno das eleições.Rondeau, em rápida conversa com jornalistas na Base Aérea de Brasília, não chegou a informar se a reunião é em La Paz ou em Brasília, mas o Diário Oficial da União traz, em sua edição desta segunda, despacho do próprio ministro autorizando Helena Cantizano a viajar à Bolívia para, em conjunto com dirigentes da Petrobras, "tratar de assuntos referentes às questões energéticas", no período entre domingo e a próxima quarta-feira, dia 25. De acordo com decreto do governo boliviano, se a o Brasil não aceitar, até o próximo dia 28, o acordo proposto pelo governo de La Paz para renovação do contrato com a Petrobrás sobre exploração de gás, a Bolívia consolidará sua intervenção nas operações da estatal brasileira. No Ministério de Minas e Energia, assessores não confirmam que estaria havendo, neste momento, reunião em Brasília com representantes do governo da Bolívia. O Diário Oficial desta segunda publica também autorização da ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para o assessor Pedro Miguel da Costa e Silva, da Assessoria Especial da Presidência da República, viajar à Bolívia para participar, desta segunda até quarta-feira, "de reuniões a respeito de temas energéticos bilaterais, em La Paz." Matéria alterada às 15h22 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.