Brasil e Bolívia vão negociar controle de reservas de gás

O secretário especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, deve se encontrar, ainda neste domingo, 2, com o presidente da Bolívia, Evo Morales. O encontro faz parte das negociações em torno do que acontecerá com os ativos da Petrobras no país vizinho, já que o governo de Morales parece determinado a retomar o controle das reservas de petróleo e gás bolivianas, que estão em mãos de multinacionais. Garcia deu a entender que a nacionalização dos ativos da estatal não é fato consumado e que o governo brasileiro fará o possível para evitar a retomada das jazidas por parte da Bolívia. Forte presença A Petrobras tem forte presença na Bolívia e já vinha mostrando desconforto com a decisão nacionalista de Morales. Garcia afirmou que o governo brasileiro continuará a fazer gestões junto ao presidente boliviano na busca de uma solução para a situação que opõe os dois países vizinhos. Morales veio ao Brasil para participar da reunião anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em Belo Horizonte. Garcia saiu de São Paulo por volta das 13 horas em direção à capital mineira para o encontro. Questionado sobre se a decisão da Bolívia seria contrária à política do governo Luiz Inácio Lula da Silva de priorizar as relações com os países da América do Sul, Garcia desconversou. "Não vou discutir as negociações com a Bolívia pela imprensa." Pela manhã, o secretário falou sobre a política externa do governo Lula em evento de relações internacionais do PT, na capital paulista, enfatizando justamente a importância da consolidação da união entre os países da região no combate a práticas hegemônicas dos países mais ricos.

Agencia Estado,

02 Abril 2006 | 14h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.