Brasil 'é centro financeiro da América Latina', diz Wall Street Journal

Com ganhos na bolsa, país atraiu investimentos e viu crescimento de empresas.

BBC Brasil, BBC

02 de janeiro de 2008 | 09h55

O Brasil representa hoje o centro financeiro da América Latina, afirma uma reportagem publicada nesta quarta-feira no diário financeiro americano The Wall Street Journal.A reportagem cita os ganhos do índice Bovespa que, neste ano, acumulou rentabilidade de 72% em dólar e foi favorecido "pelos fortes ganhos do Real frente à moeda americana"."Companhias de recursos naturais como a mineradora Vale do Rio Doce estão entre as grandas vencedoras e os investidores devem ficar de olho no setor de varejo e no crescente setor bancário. O Banco Itaú fechou o ano com valor de mercado próximo ao do Deutsche Bank", cita a reportagem.O diário financeiro ainda destaca que o crescimento de 5,3% do PIB brasileiro "superou expectativas", mas relembra que o Banco Central, "diante de preocupações com a inflação suspendeu os cortes da taxa Selic, estagnada nos 11,25% desde setembro". GanhosA reportagem ainda faz um balanço do desempenho dos mercados latino-americanos, enfatizando que nos últimos cinco anos eles foram agitados por ganhos de dois dígitos, impulsionados pelo crescimento da economia global e das exportações de commodities e bens alimentícios. "O fortalecimento da demanda local pelo setor imobiliário e automobilístico marcou a emergência de uma nova classe de consumidores latino-americanos e o crescimento de um novo grupo de títulos domésticos. Em 2008, espera-se que a demanda doméstica por carros, casas, e serviços financeiros supere a demanda por minerais e petróleo", afirma Geoffrey Dennis, analista do Citigroup entrevistado pelo WSJ. O diário financeiro projeta que os mercados latino-americanos cresçam de 20% a 25% este ano se as exportações de commodities para países como Índia, China e Estados Unidos continuarem num ritmo ascendente."Mas os riscos que se apresentam em 2008 são ao mesmo tempo maiores do que nos outros anos. Se os Estados Unidos entrarem numa recessão, afetando a economia global, há uma grande chance de que os mercados latino-americanos declinem", avalia a reportagem.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.