Brasil e China assinam quatro acordos para reforçar aliança

O Brasil e a China assinaram nesta quinta-feira, durante a visita do vice-presidente José Alencar a Pequim, quatro acordos que reforçarão a colaboração bilateral nos setores agrícola, de telecomunicações, financeiro e cultural.Uma carta de intenções entre o Ministério de Agricultura do Brasil e a Administração chinesa Geral de Qualidade, Inspeção e Quarentena (AQSIQ, na sigla em inglês) estabelece as bases para a negociação de um protocolo para importação e exportação de carne de porco não-processada.Foi assinado também um pré-acordo para promover a cooperação em informação, telecomunicação e informática, e outro que cria um mecanismo de diálogo sobre questões financeiras entre o Ministério de Finanças chinês e o da Fazenda.ComissãoAlém disso, Alencar se reuniu com o presidente da Assembléia Nacional Popular chinesa (poder legislativo), Wu Bangguo, para instalar a Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível, criada em 2004.A Comissão, que se reunirá amanhã pela primeira vez, é um fórum para estimular as relações entre os dois países que, também em 2004, firmaram uma "aliança estratégica".Na agenda bilateral, há questões econômicas como as desavenças sobre o preço do minério de ferro entre o governo chinês e a Companhia Vale do Rio Doce, além da manutenção dos acordos assinados por Lula em matéria de turismo, soja e carne.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.