Brasil e EUA cometem mesmo erro ao negociar Alca, diz Furlan

O ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, criticou nesta quarta-feira a postura do Brasil e dos EUA na co-presidência da Alca. "O Brasil e os EUA estão cometendo o mesmo erro, estão agindo mais em função dos interesses de seus respectivos países e menos como administradores dos interesses de todos os países", afirmou em palestra a investidores e empresários no Conselho das Américas, em Nova York. O ministro disse não acreditar ser possível chegar a um acordo em 2004 pelo fato de ser ano eleitoral nos Estados Unidos - haverá eleição presidencial. "Duvido muito que conseguiremos chegar a um acordo em um ano eleitoral nos EUA por ser a Alca um tema muito delicado em razão dos compromissos eleitorais", afirmou. Ele disse que, além de muitos sindicatos trabalhistas serem contra, há muito movimento no Congresso também contra a bloco econômico das Américas. Ele criticou a primeira oferta feita pelos norte-americanos, que colocou os países do Mercosul em última prioridade em termos de acesso a mercados e redução de tarifas, atrás de países do Caribe e América Central. "Nós do Mercosul tivemos a pior oferta, isso não é um bom convite para parceria", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.