Brasil e EUA negociam a Alca em tom mais construtivo

Duas horas e meia de conversas entre o chanceler brasileiro Celso Amorim e o representante de comércio dos EUA (USTR), Robert Zoellick, não diminuíram as diferenças que separam o Brasil e os Estados Unidos no projeto de criação da Alca. Mas parecem ter colocado o diálogo num caminho mais produtivo do que a troca pública de críticas mútuas que reforçaram a sensação de impasse, nas últimas semanas.?É prematuro falar de resultados?, disse Amorim, ao deixar o encontro. ?Falamos com muita franqueza, como sempre fizemos, mas não vou poder entrar em detalhes?. O porta-voz de Zoellick, Richard Mill, descreveu a reunião como ?boa e construtiva?.Neste sábado, os ministros de 14 dos 34 países da Alca passarão o dia reunidos num hotel em Virginia tentando chegar a um acordo sobre os termos da declaração a ser divulgada na reunião ministerial da Alca, nos próximos dias 20 e 21, em Miami. Participam do encontro, além dos EUA e do Brasil, Argentina, Uruguai, México, Canadá, Chile, Panamá, Trinidade e Tobago, El Salvador, República Dominicana, Chile, Peru e Colombia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.