Brasil e FMI fazem acordo sobre contabilização de gasto público

O Fundo Monetário Internacional (FMI) e o governo brasileiro chegaram a um acordo de usar de US$ 1 bilhão em investimentos públicos em cada um dos próximos três anos, que anteriormente seriam contabilizados como gastos. Foi uma negociação iniciada no governo anterior e com prosseguimento no Governo Lula, para que certos investimentos no setor público não fossem tratados como gasto, mas sim como investimentos.O Fundo e o Governo acertaram isto e será um programa piloto para os próximos três anos. Este entendimento, segundo porta vozes do Fundo, independe de um novo acordo com o FMI.O acordo paralelo para um tratamento contábil de investimento é resultado de um diálogo do organismo internacional e o Governo. O FMI tem o Brasil hoje como o cliente mais importante, e é credor de US$ 26 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.