Brasil é líder mundial em reciclagem de latas de alumínio

O Brasil se tornou líder mundial na reciclagem de latas de alumínio entre os países onde essa atividade não é considerada obrigatória, alcançando uma taxa de 85% em 2001, de acordo com dados a Associação Brasileira de Alumínio, Abal. O Brasil, que ultrapassou os EUA pela primeira vez em 1998, vem aumentando sua reciclagem 7,3% em média por ano, registrando taxas de 73% em 1999 e de 78% em 2000, disse a Abal. A taxa brasileira se deve a, entre outros fatores, a esforços intensivos de marketing e publicidade feitos pela indústria de alumínio do Brasil na última década, disse a Abal. O desempenho também é resultado do aumento da rede de locais de coleta de latas no País, e também da proliferação de cooperativas de coletores de latas e do valor residual das latas como material descartado, acrescentou a Abal. A taxa brasileira de 85% corresponde à reciclagem de 119,5 milhões de toneladas de latas, ou cerca de 9 bilhões de unidades. A reciclagem de alumínio no Brasil envolve cerca de 2.000 empresas. O Japão se posiciona em segundo lugar, com a Associação de Reciclagem de Latas de Alumínio do Japão apresentando uma taxa de reciclagem de 82%. O Japão, que liderou o ranking entre 1995 e 2000, vem aumentando sua taxa em 1% ao ano. Os Estados Unidos, cuja taxa é de 55%, e a Europa, com uma média de 45%, estão também entre os maiores recicladores do material.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.