Brasil é o 12º no ranking das maiores economias do mundo

Os dados divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre os valores consolidados do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro referente ao ano de 2004 mostram que o Brasil saiu da 15ª colocação no ranking das maiores economias do mundo em 2003 e firmou-se na 12ª colocação em 2004, superando as economias do Índia, Coréia do Sul e Holanda. Foi o país que mais ganhou posições (três no total) no levantamento da consultoria GRC Visão.O excepcional desempenho do PIB brasileiro em 2004 de 5,2% de crescimento, o maior desde 1994, foi o principal fator para a melhora do país no ranking. De acordo com a consultoria, em dólares, o PIB brasileiro alcançou US$ 605 bilhões no ano passado.Entre as 10 principais economias houve apenas uma troca de posições entre Espanha e Canadá. A Espanhaocupava em 2003 a 9ª colocação, mas superou o Canadá em 2004 e já é a 8ª maior economia do mundo - posiçãoque o Brasil ocupava em 1998. Já entre a 11ª e 15ª posições houve algumas alterações, sendo a principal delas o recuo da Coréia do Sul da 11ª para a 14ª colocação(veja no quadro abaixo o ranking completo da consultoria).ExpectativasDe acordo com a consultoria, para que haja um desempenho melhor do Brasil no ranking, galgando novas posições, é preciso que o país tenha ao menos uma taxa de crescimento compatível com a dos países emergentes, seus concorrentes diretos pela atração de investimento. Por exemplo, enquanto a expectativa de crescimento da economia brasileira está em torno de 3,5% para 2005, a média de crescimento de alguns países emergentes selecionados está em 5,2% (Argentina, Chile, China, Coréia doSul, índia, México e Rússia). Em 2004, enquanto a média de crescimento desses países foi de 5,9%, a taxa de crescimento do PIB brasileiro foi de 5,2%; mesmo sendo a maior dos últimos 10 anos ainda ficou aquém da médiados países que concorrem por investimentos.Entretanto, essa é uma situação que ainda deve demorar a ocorrer, pois ainda há um nível de juros proibitivo tanto ao consumo (juros nominais) quanto aos investimentos (juros reais). Ainda há muito a ser investido no setor de infra-estrutura, principalmente no setor de energia e estradas. Nesse sentido, vale lembrar que o consumo de energia no país medido até setembro de 2004 já indica um nível muito próximo ao observado no período pré-racionamento em 2001 colocando, portanto, a questão do abastecimento de energia mais uma vez em alerta. Ranking (posição em 2004)PaísPIB (em bilhões de dólares)1ºEUA11.7572ºJapão4.7803ºAlemanha2.7344ºReino Unido2.1135ºFrança2.0266ºItália1.6697ºChina1.5438ºEspanha9719ºCanadá95710ºMéxico64911ºAustrália62212ºBrasil60513ºÍndia59414ºCoréia58215ºHolanda577

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.