Brasil é o 70º no ranking de liberdade econômica

O Brasil alcançou, em 2007, a 70ª posição dentre as economias mais livres do mundo, em estudo divulgado nesta terça-feira pela Fundação Heritage, feito em parceria com a publicação The Wall Street Journal.O País se enquadra no bloco intermediário dentre as 157 economias analisadas, com liberdade econômica de 60,9%, apresentando uma queda de 0,8 pontos porcentuais com relação ao resultado de 2006 (61,7%), o que lhe tirou 2 posições no ranking mundial. Contudo, entre as economias da América, o Brasil se situa abaixo da média, ocupando apenas o 17º lugar dentre 29 países. Em 2006, o Brasil era o 16º."O Brasil sofre com uma burocracia altamente ineficiente e corrupta, o que contribui com baixos resultados em liberdade de negócios, de investimentos e financeira", afirma o documento. Além disso, "o sistema judicial é ineficiente e sujeito à corrupção, como as outras áreas do poder público."Como uma "potência econômica regional", o País possui taxas moderadas de impostos, tanto para as pessoas quanto para empresas, cuja participação no Produto Interno Bruto (PIB) não é tão grande, se comparado com os países vizinhos."Devido à séria inflexibilidade regulatória, abrir um negócio pode demorar mais de três vezes do que a média mundial", afirma o relatório. Severas restrições ao capital estrangeiro persistem em diversos setores, e o governo ainda se mantém bastante envolvido nos setores bancários e financeiros.O relatório critica ainda os numerosos obstáculos aos investimentos de longo prazo e de crescimento econômico, o sistema tributário, a gestão estatal da maior parte dos setores energéticos e bancário, além do complicado sistema fiscal.Na comparação com o Mercosul, o Brasil figura na segunda posição, atrás apenas do Uruguai (33º), mas à frente de Argentina (95º) e Paraguai (99º). O país sul-americano melhor colocado no ranking é o Chile, que aparece na 11ª posição.Mais livresHong Kong manteve em 2006 o status de economia mais livre do mundo, pelo 13º ano consecutivo, seguido por Cingapura e Austrália, segundo o estudo. Logo em seguida vêm Estados Unidos, Nova Zelândia, Reino Unido, Irlanda, Luxemburgo, Suécia e Canadá como as 10 economias mais livres do mundo.Os últimos do índice são ocupados por nações como Coréia do Norte (157º), Cuba (156º), Líbia (155º) e Zimbábue (154º). Iraque, Sudão, Sérvia e República Democrática do Congo não tiveram suas economias analisadas.O Índice de Liberdade Econômica de 2007 mediu diversos quesitos como liberdade comercial, financeira e de investimento, direitos de propriedade, liberdade fiscal, monetária e de trabalho e independência em relação ao governo.O estudo afirma que a liberdade econômica mundial se mantém estável, mas que muitas coisas podem ser melhoradas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.