Brasil é o primeiro emergente a entrar na Aliança de Cidades

O Banco Mundial (Bird) informou nesta terça-feira que o Brasil é o primeiro país em desenvolvimento a ingressar na Aliança de Cidades, coalizão mundial de cidades e de seus parceiros no desenvolvimento, dedicada à melhoria das condições de vida da população pobre em áreas urbanas. A Aliança atua em duas frentes: uma delas é por meio de estratégias de desenvolvimento nas quais os interessados definem sua visão para as suas cidades, analisam suas perspectivas econômicas e definem prioridades para ações e instrumentos. A outra, se refere a programas nacionais e locais de urbanização de favelas para melhorar as condições de vida de pelo menos 100 milhões de habitantes até 2020."A participação do Brasil como primeiro país em desenvolvimento na Aliança deve ter grande impacto nos debates do Grupo Consultivo do Programa, trazendo a experiência do País em rápida urbanização e sua larga experiência em urbanização de favelas", diz o comunicado do Bird. Para a instituição, o programa também será uma oportunidade para o Brasil absorver a experiência internacional, desenvolver planejamento estratégico como a prevenção de novas favelas, e criar oportunidades econômicas e opções para o financiamento sustentável de investimentos em infra-estrutura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.