Brasil é sexto país mais empreendedor do mundo

O Brasil é o sexto país mais empreendedor do mundo. Praticamente manteve o mesmo nível de empreendedorismo em 2003, no primeiro ano do governo Lula, em relação ao ano anterior. A novidade é que aumentou o percentual de abertura de negócios pela percepção de novas oportunidades do que por necessidade. Os dados são da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), que mede o empreendedorismo em 31 países de todos os Continentes, que acaba de ser divulgada pelo Sebrae Nacional.O empreendedorismo brasileiro em 2003 ficou uma posição acima da verificada no ano anterior. Em 2002, o País havia ficado em primeiro lugar em empreendedorismo por necessidade entre os países pesquisados. Já em 2003 o Brasil apresentou a terceira maior população empreendedora por oportunidade registrada pela pesquisa.Em 2002, estimava-se que havia no Brasil 14 milhões de empreendedores. Desse total, 56% eram empreendedores por necessidade, ou seja, gente que perdeu o emprego formal, era subempregado ou nem tinha emprego e teve de abrir negócios para sobreviver; e 43% eram empreendedores atentos a novas oportunidades de negócios.Em 2003, o número de empreendedores manteve-se estável. Em contrapartida, foi registrado que os empreendedores por necessidade caíram para 43%. Ou seja, dez pontos percentuais. Enquanto isso, o percentual de empreendedores por oportunidades passou para 53%. Enfim, houve inversão significativa entre os dois pólos do empreendedorismo no País.A pesquisa no Brasil aponta barreiras para o desenvolvimento da atividade empreendedora, fatores favoráveis a abertura de pequenos negócios e sugere uma série de propostas para dinamizar o empreendedorismo nacional.Do elenco de propostas constam a redução da burocracia, o acesso ao crédito, diminuição dos custos tributários e trabalhistas, melhoria do sistema de informações relativas a abertura e condução dos negócios e educação voltada empreendedorismo, etc.Segundo avaliação do gerente da Unidade de Educação e Desenvolvimento de Cultura Empreendedora, Enio Pinto, a pesquisa mostra uma prudência dos empreendedores brasileiros na abertura de novos negócios. Segundo ele, isso deve-se à elevada expectativa com relação ao primeiro ano do governo de Luiz Inácio Lula da Silva.A pesquisa revela ainda que a média de brasileiros que estão empreendendo, nos últimos três anos, foi de 15%. Com relação ao aumento do empreendedorismo por oportunidade, Enio Pinto comentou: "Ou seja, em 2002, as pessoas abriram empresas como opção para suprir o desemprego. Hoje, apesar da cautela dos investidores e empreendedores, essa tendência foi revertida."De acordo com o Sebrae, desde que passou a integrar a pesquisa, o Brasil vem se destacando entre os dez primeiros países empreendedores do mundo. Em 2000, ficou com a primeira colocação, caindo para a 5ª, em 2001, para a 7ª em 2002 e subindo um ponto (6º lugar) em 2003.A pesquisa GEM é organizada pela Babson College (EUA) e pela London Business School (Inglaterra) e realizada anualmente. No Brasil, a GEM é coordenada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e pelo Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade no Paraná (IBQP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.