Brasil elevará juro até quando for necessário, diz Meirelles

O Brasil está preparado para elevaras taxas de juros por quanto tempo precisar em meio aosesforços para conter o aumento dos preços para o consumidor epara respeitar a meta anual de inflação, disse na segunda-feirao presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. "A inflação é uma preocupação, não apenas por causa doscrescentes preços do petróleo, dos alimentos e de outrascommodities, mas também, no caso do Brasil, nós temos aeconomia se movimentando em um ritmo muito rápido", disseMeirelles em uma entrevista em vídeo divulgada no site dojornal britânico Financial Times. Meirelles, ex-executivo do FleetBoston que chefia o BCdesde 2003, também afirmou que a capacidade de produção noBrasil não está crescendo rápido o suficiente para atender àdemanda cada vez maior do consumidor, gerando um incremento nasimportações. "Agora é o momento adequado para equilibrar os dois ladosda equação", disse ele, falando em inglês. "O Banco Central jáelevou a taxa básica duas vezes em 100 pontos básicos edeclarou que está comprometido a continuar o aperto enquantofor necessário para trazer a equação geral a um equilíbrio." Com a inflação no caminho para superar a meta estabelecidapelo governo de 4,5 por cento no ano, o BC elevou a taxa básicaa 12,25 por cento nos últimos meses, em uma tentativa dearrefecer a alta demanda do consumidor. Mas os recentes dados de inflação sugerem que os preçosainda estão subindo em um ritmo alarmante, gerando dúvidas deque o governo possa respeitar a meta. Em 25 de junho, o BCelevou a previsão para a inflação neste ano para 6 por cento,em relação aos 4,6 por cento anteriores. Apesar disso, Meirelles afirmou que o BC está "comprometidoa manter a inflação na meta". A maioria dos analistas prevê que o BC vai aumentar osjuros novamente na próxima reunião de política monetária, em 22e 23 de julho, para conter a inflação. (Reportagem de Todd Benson)

REUTERS

07 de julho de 2008 | 22h16

Mais conteúdo sobre:
MACROJUROMEIRELLES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.