Brasil envia mais um negociador à China

Depois do ministro do Desenvolvimento, Sergio Amaral, e do secretário de Desenvolvimento da Produção, Reginaldo Arcuri, agora será a vez do secretário-executivo da Câmara de Comércio Exterior (Camex), Robério Silva, negociar com os chineses um acordo de livre comércio. Silva embarca nesta noite para Pequim, onde terá encontros com autoridades do Ministério para o Comércio Exterior e Cooperação Econômica da China. "O ministro Sergio Amaral quer deixar estruturadas, pelo menos, as condições para a negociação do acordo", informou Robério. O secretário viaja acompanhado de representantes da Embraer, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), de cooperativas agrícolas e empresários da Investe Brasil. O secretário informou à Agência Estado que será negociada a formação de parcerias. A Embraer está negociando com a empresa de aviação chinesa AVIC II, para a fabricação de aviões na China. "Vamos dizer em alto e bom som ao governo chinês o quanto achamos importante que essa parceria se concretize", afirmou Silva. Também será discutida a formação de uma aliança entre a empresa China Tea Corporation e a Cooperativa de Cafeicultores de Guaxupé (MG). "Queremos melhorar a nossa distribuição de café na China. O mercado de café na China ainda é muito pequeno. Por isso, precisamos de uma promoção mais forte do produto", explicou. Robério Silva ainda deverá ter uma reunião com o setor automobilístico em Xangai. Entre os dias 8 e 11 de setembro, o secretário participa da VI Feira Internacional de Investimento e Comércio (Cifit) que será realizada na cidade de Xiamen. Este é o único evento nacional chinês com foco no investimento direto estrangeiro. Em paralelo, será realizado o Fórum Internacional de Investimentos. Silva disse que sua palestra será focada nos aspectos econômicos brasileiros e no interesse brasileiro de fechar um acordo de livre comércio. O diretor de Desenvolvimento de Negócios da Investe Brasil, Eduardo Pires Ferreira, abordará o tema "Oportunidades de Investimentos no Brasil". Na edição anterior da Feira, compareceram mais de 10 mil investidores estrangeiros, de 97 países, e foram assinados 10.536 contratos, totalizando US$ 56,5 bilhões de investimentos externos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.