Brasil está no foco das petrolíferas estrangeiras

O Brasil está no foco dos investimentos das companhias petrolíferas estrangeiras, segundo executivos que participam hoje da 17ª Latin Upstream 2008, no Rio. Segundo o presidente da Statoil Norsk Hydro no Brasil, Jorge Camargo, há um potencial a ser explorado no País e as companhias estão aguardando possíveis modificações na concessão de áreas exploratórias que possam ocorrer após a descoberta de reservas em águas marinhas profundas, na camada de sal, abaixo do leito marinho."Há um respeito das empresas, e nos incluímos entre elas, quanto ao direito soberano da política nacional para as reservas de petróleo. Depois que houver a definição é que nós (empresas) analisaremos como ficará (a situação). Por enquanto estamos todos acompanhando com interesse", disse em entrevista hoje, fazendo coro aos representantes das multinacionais Shell e Chevron. "O modelo brasileiro de concessão de áreas exploratórias é ótimo: moderno e transparente e oferece condições boas para os investidores tanto em seu ambiente regulatório quando exploratório", completou Camargo.Também presente ao evento, o diretor da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Nelson Narciso, frisou que a reguladora continua em seu processo de preparação para futuras rodadas, enquanto aguarda a definição do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) sobre a retomada da Oitava Rodada. Segundo Narciso, independente de retomar este leilão - suspenso por ordem judicial em 2006, a ANP já vem preparando a 10ª Rodada, que teria foco em áreas maduras, novas fronteiras e possíveis áreas com elevado potencial exploratório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.