bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Brasil exporta café "gourmet" para a Grã-Bretanha

Pela primeira vez, um café brasileiro de qualidade superior, conhecido no Brasil como café "gourmet", está sendo vendido em larga escala no Reino Unido, por uma das torrefadoras mais exigentes do país, a Union Coffee Roasters, empresa que se autodenomina "ética". Desde a semana passada, as prateleiras de 130 lojas da sofisticada rede de supermercados Waitrose e unidades selecionadas da rede Sainsbury´s estão oferecendo aos seus clientes pacotes contendo 227 gramas de café com a grife ´Fazenda Lambari´, produzido em Poços de Caldas, Minas Gerais.O preço de cada pacote é salgado para os padrões brasileiros: 3,50 libras esterlinas, cerca de R$ 12. O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sergio Amaral, durante a sua passagem na semana passada pela capital britânica, fez questão de exibir uma amostra do produto.Desde os tempos em que presidia a Associação dos Países Produtores de Café (APPC), quando ainda era embaixador em Londres, Amaral vem insistindo que uma das saídas para os cafeicultores brasileiros contornarem os preços baixos da mercadoria nos mercados internacionais seria o esforço pela produção de um café de altíssima qualidade, com valor agregado, que atraia os consumidores dos países ricos. "Finalmente, isso parece estar começando", disse Amaral. "Decidimos trazer o café de qualidade brasileiro principalmente por uma razão muito simples: ele é muito bom, doce, delicioso", disse à Agência Estado Steven Macatonia, um dos co-proprietários da Union Coffee Roasters. Ele explicou que isso não ocorreu antes porque não havia no Brasil uma preocupação em distinguir o café de qualidade, com certificado de origem. "Sabíamos que havia um café excelente no Brasil, mas tinhamos dificuldades em encontrá-lo", afirmou. "Mas através da Associação Brasileira de Cafés Especiais pudemos conhecer produtores que se encaixam na nossa filosofia, que é a de ser uma empresa ética que comercializa um café de produtores que seguem alguns requisitos básicos: salários e condições de vida decentes para os seus trabalhadores, estímulo para práticas agrícolas sustentáveis e respeito absoluto à proteção ambiental". Na embalagem do café brasileiro, o consumidor britânico pode ler uma breve explicação sobre o perfil e as práticas de produção da Fazenda Lambari, que é de propriedade das famílias Rebetez e Mariani. "Decidimos escolher esse café pois a família Rebetez se encaixa nos nossos requisitos éticos", disse. Macatonia acrescentou que, dependendo da resposta dos consumidores britânicos, o produto poderá ser exportado para outros países europeus. "O potencial é promissor."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.