Brasil exportará 1 mi de barris de petróleo por dia já em 2017

Segundo Lobão, governo vai 'ativar de maneira surpreendente a indústria' para acelerar produção do pré-sal

Leonardo Goy, da Agência Estado,

16 de setembro de 2009 | 11h58

O ministério de Minas e Energia, Edison Lobão, disse nesta quarta-feira, 16, que já a partir de 2017 o Brasil poderá exportar um milhão de barris de petróleo por dia, o equivalente a metade do consumo atual.

 

Veja também:

linkPetrobras anuncia nova descoberta no pré-sal de Santos

especialO novo marco regulatório do petróleo

especialO caminho até o pré-sal

especialMapa da exploração de petróleo e gás 

 

"Com as áreas até agora avaliadas (incluindo o pré-sal), será possível atingir uma meta diária de produção de 3,6 milhões de barris por dia, em 2017. Como o consumo em 2017 deverá ser próximo de 2,6 milhões de barris, poderemos exportar 1 milhão", afirmou Lobão.

 

O ministro participa de audiência pública na Comissão de Minas e Energia da Câmara para discutir os projetos do governo para o marco regulatório do pré-sal. Lobão também disse que o governo vai "ativar de maneira surpreendente a indústria nacional" para que as empresas brasileiras possam fornecer equipamentos que serão usados na produção do pré-sal.

 

FGTS

 

Lobão afirmou também que o governo não vai liberar o uso do FGTS para que os acionistas minoritários da Petrobrás possam comprar novas ações, na operação de capitalização que será conduzida para que a empresa possa investir no pré-sal.

 

Segundo o ministro, "o FGTS está voltado a outros objetivos" como a construção de casas populares. Ele citou a meta do programa Minha Casa, Minha Vida, de construir 1 milhão de novas moradias e afirmou que o governo não podia "abrir as comportas do FGTS", porque quer atingir a meta do programa habitacional.

 

Lobão justificou que a liberação do FGTS no governo anterior, para a compra de ações da Petrobrás, foi uma decisão tomada em outro momento político e econômico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.