Brasil exportará menos carne com a volta da Argentina ao mercado

A volta da Argentina ao mercado mundial de carne bovina deverá reduzir as exportações brasileiras em maio, em relação ao volume embarcado no mesmo mês de 2001, prevê o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Edivar Queiroz. "A Argentina voltou ao mercado oferecendo produtos a preços menores. As exportações serão menores em volume e receita cambial em maio", afirma.Devido a problemas sanitários (aftosa), a Argentina ficou 11 meses sem exportar carne bovina fresca. Entre março de 2001 e fevereiro de 2002, sem a Argentina e também o Uruguai, o Brasil exportou volumes significativos de carne bovina, principalmente à União Européia. "Nosso grande problema está sendo disputar o mercado europeu com a Argentina", admite Queiroz. "Mesmo com a alta de ontem do dólar no mercado brasileiro, a arroba do boi gordo vale bem menos na Argentina." O presidente da Abiec calcula que o boi gordo na Argentina vale entre US$ 12 e US$ 13 a arroba, acima dos US$ 17 em São Paulo.As escalas de abate de boi gordo continuam curtas, montadas para três dias, mas os frigoríficos evitam elevar os preços de compra em São Paulo, informa o analista da Scot Consultoria, Stavros Platon Tseimazides. "Os frigoríficos paulistas compram em outros Estados para evitar uma alta de preços no mercado de São Paulo", afirma.

Agencia Estado,

14 de maio de 2002 | 18h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.