Brasil fará fórum sobre etanol com EUA, China e UE

O Brasil irá realizar um fórum internacional sobre etanol, juntamente com Estados Unidos, China, Índia, União Européia e África do Sul. A informação foi dada nesta quarta-feira pelo embaixador brasileiro em Washington, Roberto Abdenur, durante o evento O Futuro das Relações Estados Unidos - Brasil, realizado no Instituto Brasil, da instituição de pesquisas políticas Woodrow Wilson Center, situada na capital americana.´´A idéia é criar este núcleo (de países) e lentamente incorporar outros países que sejam produtores ou potenciais produtores e/ou consumidores, para que o etanol um dia se torne globalizado e possa substituir até certo ponto o petróleo´´, comentou o embaixador.Segundo Abdenur, isso coincide com o propósito expresso pelo presidente americano, George W. Bush, de investir em combustíveis alternativos e, em particular no etanol. Em seu discurso sobre o Estado da União, na terça-feira, o líder americano afirmou que os Estados Unidos têm de reduzir sua dependência em relação ao petróleo e ´´continuar investindo em novos métodos de produção de etanol, usando de tudo, desde gravetos e grama até detritos vegetais´´.DivulgaçãoO embaixador não quis dar mais detalhes sobre o fórum internacional, porque afirmou que o plano detalhado do projeto será divulgado nos próximos dias.De acordo com o embaixador, o avanço do etanol é algo que interessa particularmente ao Brasil e aos Estados Unidos. ´´Nós temos defendido junto aos nossos amigos americanos as razões para estabelecer uma parceria entre Estados Unidos e Brasil, porque atualmente somos responsáveis por 70% da produção mundial de etanol.´´Segundo Abdenur, as duas nações compartilham de um mesmo objetivo estratégico - o de ´´transformar o etanol em uma commodity comercial energética internacional´´.Despedida O embaixador Roberto Abdenur conclui o seu mandato como representante brasileiro em Washington ao final desta semana. Abdenur, de 64 anos, esteve à frente do posto desde 2004. Após retornar ao Brasil, na próxima semana, ele pretende deixar o Itamaraty, tendo atuado junto ao Ministério das Relações Exteriores por 43 anos.Abdenur representou o Brasil na China, na Alemanha, na Áustria e no Equador. O novo embaixador foi subsecretário-geral de Assuntos Políticos do Ministério das Relações Exteriores e chefe de gabinete e secretário de Planejamento Diplomático do chanceler Celso Amorim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.