MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO
MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO

Brasil fecha 39,3 mil empregos com carteira assinada em setembro

Retração é menor do que a verificada no mesmo mês de 2015; no ano, perda acumulada é de 683,6 mil vagas

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2016 | 16h42

O Brasil perdeu 39.282 vagas formais de emprego em setembro deste ano. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, o saldo negativo é menor do que o registrado no ano passado, quando foram fechados 95.602 postos no mesmo mês. 

Desde abril, o ritmo de fechamento de postos de trabalho vem sendo menos intenso na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Em agosto, o saldo do Caged foi negativo em 33.953, ante 86.543 no mesmo mês de 2015.

No acumulado do ano, o saldo de postos fechados é de 683.597 pela série com ajuste, ou seja, incluindo informações passadas pelas empresas fora do prazo. No acumulado dos últimos 12 meses, o País encerrou setembro com 1.599.733 vagas formais a menos, também considerando dados com ajuste.

A construção civil foi o setor que mais fechou vagas formais no mês passado. O saldo no setor foi negativo em 27.591.

O setor de serviços também registrou forte fechamento de postos, com saldo negativo de 15.144. O resultado líquido também foi de demissões na agropecuária (-8.198 vagas), indústria extrativa mineral (-692 postos), serviços industriais de utilidade pública (-515 postos) e administração pública (-448 postos).

Por outro lado, a indústria da transformação registrou o segundo mês de saldo positivo (+9.366), depois de amargar 17 meses consecutivos de fechamentos de vagas. Em seguida veio o comércio, que, com a proximidade do fim do ano, registrou contratações líquidas de 3.940 trabalhadores. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.