Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Brasil fica no grupo intermediário do ranking de bom governo

Chile e Costa Rica são os melhores países da América Latina em práticas de bom governo, segundo um novo relatório do Banco Mundial, que deixa o Brasil no grupo intermediário na luta contra a corrupção e outros indicadores.O BM divide os países em grupos, numa classificação por cores que vai do verde escuro (os melhores) ao vermelho escuro (os piores). O Brasil está no amarelo, de nível intermediário, ao lado de Colômbia e Uruguai.Os chilenos, que ganham com freqüência elogios do órgão e também do Fundo Monetário Internacional, voltaram a receber cumprimentos."Mais de 12 países não membros da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico, entre eles Eslovênia, Chile, Botswana e Estônia, aplicam melhor a lei e controlam mais a corrupção que nações como Grécia e Itália", aponta o relatório "O bom Governo importa, 2006".Chile e Costa Rica aparecem em verde claro no mapa colorido do relatório que ilustra os melhores e os piores na luta contra a corrupção. Com a mesma cor aparecem países como Espanha, França e Japão. Em verde escuro estão, entre outros, Estados Unidos, Grã-Bretanha, Alemanha, Suécia e Austrália.Venezuela e Paraguai foram pintados com a cor da vergonha, o vermelho. Pelo menos, o vermelho claro, não tão ruim quanto o vermelho escuro de República do Congo, Chade e Uzbequistão.O controle da corrupção é um importante indicador mas não o único avaliado no relatório, que avalia outros dados como "Voz e Responsabilidade", que mede os direitos humanos e civis.Outro indicador é "Estabilidade Política e Ausência de Violência", que avalia a possibilidade de terrorismo e mudanças de Governo nos países.A "Eficiência Governamental" mede a qualidade dos serviços públicos e da burocracia. "Qualidade da Regulação", avalia as políticas contra o livre mercado. Por último, vem o fator "Aplicação da Lei".Na América Latina, o Brasil não lidera em nenhum dos critérios, mas também não figura entre os últimos colocados. Costa Rica e Chile se alternam nos primeiros lugares em quase todos os pontos.O estudo divulgado nesta sexta-feira pelo Banco Mundial insiste que cada vez mais Governos, cidadãos, empresas, investidores e ONGs reconhecem a importância dos indicadores de bom Governo na melhora dos níveis de vida.Segundo o relatório, as pesquisas demonstram que a melhora no padrão de vida é "em grande medida" o resultado do bom Governo.Os indicadores mostram que quando o bom governo melhora, o mesmo acontece com a renda, enquanto a mortalidade infantil diminui.O relatório inclui mais de 200 países e baseia seus resultados em centenas de variáveis e mais de 120 mil respostas de cidadãos, especialistas e empresas.Segundo o Banco Mundial, o relatório e as bases de dados sobre o tema são o maior volume de informação pública sobre bom Governo no mundo.

Agencia Estado,

15 de setembro de 2006 | 07h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.