Brasil ganhará mercado de açúcar com decisão da UE

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, disse hoje que o Brasil pode ganhar o mercado que deixará de ser abastecido pelo açúcar europeu. Ele estimou que o Brasil pode ofertar para terceiros países, que não da União Européia, cerca de 2 milhões de toneladas de açúcar já no próximo ano. Ele deu essas informações ao comentar a decisão da UE de reduzir os subsídios à produção de açúcar.O ministro da Agricultura comemorou a decisão da União Européia de adotar uma nova política para a produção de açúcar. "Os subsídios inibem o acesso do Brasil ao mercado açucareiro de vários países", disse.Ele contou que a União Européia produz cerca de 20 milhões de toneladas de açúcar por ano. Desse total, cerca de 17 milhões de toneladas são produzidas a partir de "subsídios elevadíssimos", informou o ministro. A União Européia propõe reduzir a produção subsidiada em 3 milhões de toneladas.Rodrigues avaliou que a proposta da União Européia significa que haverá algum tipo de compensação com medidas de apoio aos países da África, Caribe e Pacífico, grupo chamado de ACP, para que eles possam produzir um pouco mais de açúcar.Negócios com União EuropéiaNo curto prazo, o Brasil não deve exportar mais açúcar para a União Européia, apesar do bloco ter apresentado proposta para redução da sua política de subsídios, prevê o ministro. Isso porque a demanda interna da região continuará sendo abastecida pela sua produção. "A tendência é que o Brasil ganhe os mercados dos terceiros países", explicou o ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.