Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Brasil já está crescendo na vida real, afirma Palocci

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, evitou hoje comentar a revisão do PIB deste ano, de 1,6% para 0,5%, feita pelo Ipea, órgão do ministério do Planejamento, e preferiu adotar um discurso otimista quanto ao futuro da economia. "Números não se comentam; perspectivas são perspectivas", disse. Ele acredita que o País terá crescimento em 2003. "Essa é uma perspectiva muito clara, na vida real isso já está acontecendo hoje", afirmou. O ministro afirmou que os números difíceis da economia brasileira estão ficando para trás. Segundo ele, as dificuldades não são vistas mais pelo pára-brisa, mas pelo retrovisor. Palocci ponderou que o Brasil está vencendo a crise do ano passado ao controlar a inflação sem perda de PIB. O ministro destacou que o Brasil enfrentou em 2002 "a pior crise dos últimos dez anos", com a situação complicada em termos de crédito para as empresas, risco país, rolagem de dívida e inflação. "Em janeiro, tínhamos uma inflação futura projetada de 113% no atacado e 43% no varejo. Resolver essa crise tem um custo sobre o produto mas vamos aguardar", afirmou.Na avaliação dele, a queda do PIB no primeiro semestre de 2003 reflete os altos juros no final de 2002 e início deste ano. Com o início do processo de redução dos juros, as taxas futuras já projetam percentuais abaixo do que é a Selic hoje, disse Palocci.

Agencia Estado,

04 de setembro de 2003 | 17h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.