Brasil já exporta mais petróleo do que compra

O Brasil está saindo da condição de importador para a de exportador líquido de petróleo. Pela primeira vez na história, o País registrou mais exportações de petróleo em julho do que de importações, conforme dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), considerando a movimentação de óleo cru e derivados. Pelos dados da ANP o Brasil importou o equivalente a 21,125 milhões de barris em julho, sendo 11,080 milhões de óleo cru e 10,045 milhões de derivados. As exportações, por sua vez, somaram 21,217 milhões, sendo 15.984 milhões de barris de óleo cru e 5.233 de derivados. Com isso, o saldo líquido ficou em 92 mil barris. Nos primeiros seis meses do ano o déficit de importações oscilou em torno de 10 milhões de barris mensais, pelos dados da ANP. Em termos financeiros, o País ainda dispendeu mais dólares do que recebeu em julho, mas os valores têm sido cada vez menores. O dispêndio líquido em julho, pelos dados da ANP, somaram US$ 59 milhões, o que representa queda de 87% em relação ao déficit de US$ 456 milhões registrados em julho do ano passado. Ao todo, pelos dados da ANP, o Brasil importou o equivalente a US$ 503 milhões de petróleo e derivados em julho, sendo US$ 284 milhões de petróleo bruto e US$ 219 milhões de derivados. As exportações, por sua vez, somaram US$ 445 milhões, sendo US$ 318 milhões de petróleo cru e US$ 126,3 milhões de derivados.

Agencia Estado,

19 de setembro de 2002 | 13h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.