Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Brasil lidera contribuições bilionárias ao Banco do Sul

País, Venezuela e Argentina fornecerão US$ 6 dos US$ 10 bilhões do capital inicial da instituição

Efe,

25 de março de 2009 | 04h46

O Brasil, ao lado de Venezuela e Argentina, fornecerá US$ 6 dos US$ 10 bilhões do capital inicial do Banco do Sul, informou nesta terça-feira, 24, a agência estatal de notícias venezuelana ABN.

 

Cada um desses três países dará US$ 2 bilhões "para o início desse importante instrumento financeiro latino-americano", enquanto Bolívia, Equador, Uruguai e Paraguai "darão quantias escalonadas que estão ao redor de US$ 100 milhões por país", disse o ministro da Economia venezuelano, Alí Rodríguez, à ABN.

 

A última "reunião técnica e ministerial" que encerrará de vez o assunto será em Buenos Aires, em maio, "e imediatamente depois ocorrerá uma cúpula presidencial em que se deixará instalado definitivamente o Banco do Sul", contou o ministro venezuelano.

 

Rodríguez foi anfitrião na segunda-feira, em Caracas, de um encontro com ministros dos outros seis países, que classificou como "excepcional" por ter resolvido "pontos que estavam pendentes para avançar rumo à materialização desse significativo instrumento financeiro".

 

A reunião de Caracas contou com a presença do ministro da Fazenda, Guido Mantega, e dos responsáveis pela economia de Argentina, Carlos Fernández; Bolívia, Luis Arce; Equador, Diego Borja; Paraguai, Dionisio Borda; e Uruguai, Álvaro García.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.