Brasil lidera retomada econômica da América Latina, diz Bird

Países de fortes laços comerciais com mercado asiático se recuperam mais rápido que os dependentes dos EUA

Reuters,

29 de setembro de 2009 | 07h12

O pior da crise econômica global passou e, liderada por um resistente Brasil, a América Latina deve ver um crescimento de 3% em 2010, avaliou uma autoridade do Banco Mundial (Bird).

Veja também:

linkFMI eleva previsão do PIB mundial de 2010 de 2,5% para 3%

linkDólar pode perder status, avisa presidente do Banco Mundial

linkO mundo não tem mais dono da verdade, afirma Lula

linkEmergentes terão mais poder no FMI

especialUm ano após auge da crise, economia se recupera

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialDicionário da crise 

especialComo o mundo reage à crise

 

Augusto de la Torre, economista-chefe da entidade para a América Latina e o Caribe, afirmou na segunda-feira, 28, que neste ano a economia da região deve encolher cerca de 2%. 

 

"(Mas) há uma crescente visão de que o pior da crise acabou", disse.

Ele acrescentou estar claro que o Brasil e outros países com fortes laços com os mercados chinês e outros asiáticos já saíram da recessão.

Já o México e outros países da América Central que dependem mais dos Estados Unidos demorarão mais para se recuperar, acrescentou de la Torre.

 

"São os mercados emergentes, os grandes mercados emergentes, que estão liderando a recuperação."

Embora a região tenha se saído relativamente bem durante a crise do último ano, de la Torre ressaltou que a forte queda da atividade econômica ainda está mostrando seus efeitos. Entre eles, o aumento de em torno de 10 milhões de pessoas entre os pobres da América Latina.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROBIRDLATAM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.