Brasil não está preparado para safra recorde, diz Furlan

O ministro de Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, reconheceu nesta segunda-feira que a "estrutura brasileira não estava preparada para recordes de safra e também para o crescimento de exportação de cargas gerais". Por isso, na atual safra, poderão ser tomadas apenas medidas emergenciais, preparando-se para investimentos mais expressivos para a próxima colheita. Furlan, que fez palestra a empresários em Curitiba, visita nesta terça-feira o porto de Paranaguá para conversar com a direção e com exportadores. "Nossa preocupação é que (o porto) consiga operar com eficiência", afirmou. Segundo ele, a inspeção é uma orientação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Um dos problemas do escoamento de grãos é a proibição do governo de exportar produtos transgênicos por Paranaguá. "Há uma preocupação que a determinação do governo do Estado possa fazer com que o ritmo de escoamento fique mais lento", disse. Segundo o ministro, será necessário melhorar toda a logística de produção. "Daqui a pouco, o desafio não será produzir nem vender, mas entregar", disse. "O produtor está pagando pela ineficiência do sistema."

Agencia Estado,

08 Março 2004 | 19h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.