Brasil não precisa do FMI agora, mas crédito é boa idéia--fonte

O Brasil vê com bons olhos uma nova linha de empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI) para prevenção à crise, mas avalia que não precisa do dinheiro neste momento, afirmou à Reuters uma fonte próxima do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Se a gente vai tomar (dinheiro do Fundo) no futuro, eu não sei, mas não estamos precisando dele agora", disse a fonte nesta quarta-feira sob condição do anonimato. Nações emergentes, notadamente Brasil e México, reivindicam há anos uma linha de crédito emergencial para prevenção de crises. O FMI corre para aprovar um pacote de medidas com um novo instrumento de liquidez. A idéia básica é de que o financiamento possa ser acessado por países com fundamentos econômicos sólidos sem que estes sejam obrigados a aderir a um programa de metas rígidas para ter acesso ao dinheiro. Em 2005, o governo Lula quitou a dívida que tinha com o FMI dois anos antes do vencimento, e comemorou muito por isso. A expectativa do Palácio do Planalto é de que o Fundo anuncie ainda hoje a nova linha de financiamento. Procurado, o Ministério da Fazenda não estava imediatamente disponível para comentar. (Reportagem adicional de Ana Nicolaci da Costa)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.