Brasil não precisa mais do FMI, anuncia Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje que o Brasil não precisa mais fazer acordos com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Em cerimônia para o lançamento do pólo minero-siderúrgico de Corumbá (MS), Lula lembrou que o País vai atingir esse ano a marca de US$ 100 bilhões de exportações e que há alguns anos o Brasil precisava recorrer ao Fundo para financiar seu déficit (saldo negativo) na balança comercial.Ele creditou o bom desempenho das exportações às viagens que vem fazendo ao exterior. "Viajamos o mundo para vender produtos brasileiros", disse. "Não viajamos apenas para receber títulos".O presidente lembrou ainda de três processos vencidos pelo governo brasileiro na Organização Mundial do Comércio (OMC) - açúcar contra a União Européia, algodão contra os Estados Unidos e o reconhecimento do frango salgado pela Europa - como eventos de uma política mais agressiva na área de comércio exterior.CrescimentoO presidente garantiu que o Brasil vai ter crescimento econômico superior acima de 5% em 2005. "Esqueça todas as previsões feitas pelo mercado de que vai ser em torno de 3%, porque eu asseguro que vamos crescer 5% ou mais", disse o presidente.Ele destacou ainda que esse ano será mais promissor do que 2004 quando a taxa de emprego registrou o maior crescimento desde 1982 e a indústria, maior alta desde 1996. Ele citou o setor siderúrgico como um exemplo de atividade que vai sustentar o crescimento econômico brasileiro.Segundo o presidente, estão projetados US$ 25 bilhões em investimento nessa área para os próximos cinco anos. "Vamos duplicar a nossa capacidade produtiva, assim como duplicaremos a capacidade de outros setores", disse.Lula disse que normalmente um governo só começa no terceiro ano do mandato, porque os dois primeiros "são muito difíceis". Ele disse, no entanto, que teve sorte, já que apresentou bons resultados já no segundo ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.